Regressão é uma técnica terapêutica da Hipnoterapia Ericksoniana, e a sua prática ajuda a rastrear o sintoma e a curá-lo. Durante esse procedimento a causa aparece e assim, com o sintoma desmistificado, fica mais fácil a resolução do problema.

A Hipnoterapia Ericksoniana é um método criado por Milton Erickson e que atende uma necessidade de tratamento mais rápido e eficiente.

As sessões se desenvolvem sempre de modo consciente, e por isso são seguras. Muitos supõem que a hipnoterapia é feita com a pessoa desacordada, inconsciente, mas não funciona assim. A hipnose em que a pessoa fica inconsciente é uma técnica usada no palco, em espetáculos públicos, mas não é usada para mudar os padrões da consciência. Seria bom que houvesse algo assim, que num toque de mágica mudasse tudo repentinamente, mas o que se sabe é que é necessário que as mudanças sejam feitas com consciência de si.

Muitas pessoas querem a lei do menor esforço, querem que ao fazer uma sessão de hipnose tudo mude. Por exemplo, fazendo uma analogia: quando se aprende uma língua estrangeira, é necessário certo tempo para que a mente memorize o vocabulário e a gramática, para que depois se possa fazer uso desse conhecimento de maneira fluente e compreensível. O mesmo acontece com a psicoterapia e com a hipnoterapia. São técnicas modernas que ajudam a compreender o que vai dentro de você, o que se passa na sua cabeça, para que você possa fazer as mudanças necessárias. No entanto, requer tempo e determinação pessoal.

É quase impossível descrever como é a regressão e a hipnoterapia, é como se fossemos descrever o gosto de uma laranja para uma pessoa sem paladar, o cheiro para alguém sem olfato, etc. Só mesmo quem já experimentou é que pode saber, e mesmo assim fica impossibilitado de explicar para o outro. As palavras são poucas para descrever algo que é sentido e que só quem sente sabe.

Na verdade a regressão à infância é uma técnica nova, que foi surgindo devido à necessidade de rapidez e funcionalidade. Não existem os riscos que muitos lhe atribuem, é seguro e fácil.

O único que pode tornar a regressão à infância ou vida passada mal sucedida, é a própria pessoa. Fica com medo do desconhecido, achando “que vai para algum lugar” e que pode não voltar. O medo se deve à crença popular, ideias erradas sobre perigos imaginários, e também à tendência em acreditar em tudo o que os outros dizem. Mesmo com o profissional dizendo que não há perigo, a pessoa se prende ao medo, esperando sempre o pior. O ideal é que haja uma entrega, acreditando na recuperação e confiando no tratamento.

Psicóloga Maria Manuela Ferreira